MINISTÉRIO LANÇA PESQUISA SOBRE TURISMO DOMÉSTICO

BRASIL PODERÁ TER ZONA LIVRE DE IMPOSTOS PARA VINHO NACIONAL
20 de outubro de 2017
COMISSÃO DA ECONOMIA COLABORATIVA INICIA SÉRIE DE DEBATES NA CÂMARA FEDERAL
24 de outubro de 2017

Cabo Frio foi o município da Região dos Lagos escolhido para que o Ministério do Turismo defina o perfil do turista doméstico brasileiro. O objetivo é entender e obter informações que auxiliem na formulação de políticas públicas de incentivo às viagens dentro do país. Com este objetivo o MTur – Ministério do Turismo está iniciando a pesquisa de Demanda Doméstica, com moradores de 27 capitais e de outros 110 municípios brasileiros. A ideia é cadastrar 30 mil domicílios de famílias interessadas em participar do processo.

Para Marx Beltrão, Ministro do Turismo, é necessário entender o comportamento dos turistas nacionais: o que desejam, destinos preferidos e atividades mais procuradas.

– “Temos um enorme potencial de turismo doméstico e queremos avançar para garantir que cada vez mais brasileiros possam viajar pelo seu país”.

Diretor da área de Ordenamento do Turismo do Ministério do Turismo, Rogério Antonio Coser disse que o Ministério tem o máximo de interesse em colaborar na discussão do Projeto Bandeira Azul:
– “A Bandeira Azul é o melhor cartão de visita que pode existir para qualquer praia como destino turístico, também para atração de investimentos — afirmou”.

A pesquisa será realizada por telefone. Caberá à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), realizar as ligações para coletar informações sobre viagens realizadas nos últimos 12 meses. O último levantamento de turismo doméstico foi realizado em 2011. O assunto será debatido, no dia 7, no Seminário Empresarial de Turismo de Maricá, promovido pela ‎Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado do RJ (FCVBRJ)

Já Nilo Sergio Felix, secretário de estado de Turismo do Rio de Janeiro, ressaltou que pesquisas direcionadas ao turismo são essenciais como ferramentas de entendimento do mercado e do público consumidor.

– “No nosso estado, além da Capital, foram selecionados para a pesquisa os municípios de Cabo frio, Nova Friburgo, Itaperuna, Campos dos Goytacazes e Volta Redonda. As cidades estão bem distribuídas no território fluminense, abrangendo diferentes regiões turísticas”.

Nos últimos anos, o segmento do motociclismo é o melhor exemplo para entender o fluxo de turistas fora da alta temporada. Nos eventos organizados por moto clubes tradicionais, a rede hoteleira chega à taxa de ocupação de 100%. A importância do motociclismo no turismo regional também será um dos temos do seminário em Maricá.

Presidente da FCVBRJ, Marco Navega disse que os problemas de acesso, de segurança pública e de cumprimento das leis de posturas atrapalham o turismo da Região dos Lagos. Ele defende a criação de uma delegacia especializada no atendimento ao turista em Cabo Frio para atender a toda a região. Defende também melhor conservação da RJ-106 e retirada dos quebra-molas colocados pelo DER em São Pedro da Aldeia que, segundo ele, emperram o trânsito e provocam acidentes. Ele também é um entusiasta do projeto Bandeira Azul para a Praia do Peró:

– “Resolvidos estes problemas de infraestrutura, a Bandeira Azul para a Praia do Peró seria a cereja do bolo da Região dos Lagos. Qualquer lugar do planeta se candidata a receber cada vez mais turistas com a Bandeira Azul, que preconiza o respeito ao ambiente e as pessoas. O Peró saindo na frente vai estimular outras praias do nosso litoral a buscar o certificado internacional” – previu Navega.

FOTOS: Ernesto Galiotto e Hudson Pontes.

Os comentários estão encerrados.