PERÓ TEM AVALIAÇÃO POSITIVA DO RÉVEILLON

PM PROMETE REFORÇAR SEGURANÇA NAS RODOVIAS DE ACESSO À REGIÃO DOS LAGOS
5 de dezembro de 2019
RIO DE JANEIRO INICIA 2020 APRESENTANDO SEUS ATRATIVOS TURÍSTICOS NA ESPANHA
17 de janeiro de 2020

A falta de apoio público para a festa da virada de ano não impediu que o Peró tivesse o melhor réveillon dos últimos anos, graças principalmente ao comportamento do público e ao apoio da iniciativa privada. José Antonio Moreira, fotógrafo e comerciante que há 28 anos passa o réveillon no flat Âncora, disse que a passagem de ano transcorreu sem incidentes e com uma bela queima de fogos, de sete minutos, promovida pelo Hotel Paradiso.

— A praia estava cheia, em toda a área da Bandeira Azul. Deu para notar que havia um público diferente, educado e animado. Nos anos anteriores, havia muitos carros de som na praia, ambulantes, uma confusão danada. Acho que a proibição de carros na orla ajudou o Peró a ter um réveillon tranqüilo, a virada da paz. E a queima de fogos do hotel foi bem legal – elogiou o fotógrafo.

Gerente do Hotel Paradiso, Márcio Nascimento disse que, ao contrário dos anos anteriores, o réveillon transcorreu sem qualquer incidente.

— A cada ano notamos uma melhora no comportamento do público. Problemas existem, mas poucos em relação ao número de pessoas que procuraram o Peró no Réveillon e Carnaval. A avaliação geral foi bem positiva – comentou o gerente.

Presidente da Federação dos Conventions Bureau do Estado do Rio, Marco Navega disse que o Peró é exemplo para outros destinos turísticos do Estado do Rio:

— A comunidade e a iniciativa privada conseguiram muitos avanços para o Peró, sobretudo nos últimos três anos. O melhor exemplo é a Bandeira Azul e ultimamente o asfaltamento do acesso. A união mostrou que o Peró precisava de investimentos e o resultado está aí. O cenário mudou, a tendência é melhorar cada vez mais, despertando o interesse de investidores – previu Navega.

Apesar do sucesso, o bairro enfrentou alguns problemas. O pior deles foi a desordem na Praça do Moinho, impedindo que os ônibus e caminhões de coleta de lixo chegassem ao miolo do bairro. Havia excesso de ambulantes na praça, além de carros mal estacionados. O telefone 153, da Guarda Municipal e Posturas, não funcionou. Apesar dos avisos, muitos visitantes deixaram lixo e levaram cães para a praia. O serviço de limpeza feito pela Comsercaf-Peró funcionou bem.

 Faltaram banheiros químicos na Praça do Moinho. No Pontal do Peró, por falta de fiscalização da Prefeitura, do INEA e da Polícia Ambiental (UPAM), muitos visitantes fizeram churrasco em meio à mata nativa e abusaram dos equipamentos de som. A Guarda Municipal multou vários carros estacionados irregularmente, mas faltou reboque para levar os carros para o depósito.Banhistas reclamaram de vazamento de esgoto num quiosque junto ao Morro do Vigia.

Pela primeira vez, um secretário municipal visitou o Peró nos dias de grande movimento do réveillon. Paulo Cotias, do Turismo, fez uma visita técnica e anotou os pontos positivos e negativos da visita. Ele se reuniu com os agentes de posturas e com os demais funcionários da Prefeitura que atuam no projeto Bandeira Azul. A prefeitura não instalou o posto de informações turísticas e a base da equipe de fiscalização no Peró.

— Esperamos que os problemas detectados não se repitam no Carnaval, quando a desordem é maior. Precisamos de banheiros químicos, segurança e atrações musicais na Praça do Moinho – apelou o corretor de imóveis Jorge Murilo de Oliveira, fundador do movimento Amigos do Peró.

FOTOS:

O secretário de Turismo, Paulo Cotias, com os agentes de posturas, no Peró.

O Peró lotou no réveillon, mas sem incidentes. 

Os comentários estão encerrados.